Descobrimento. António Lopes Ribeiro

taiti_sea

Há-de haver, pelo menos, uma ilha
que eu possa descobrir no mapa-mundo;
um mar ignoto, reservado à quilha
da minha nau, que não pode ir ao fundo.

Preparem um padrão de maravilha
que assinale o meu feito sem segundo!
(Clara certeza de aventuras, filha
da minha inquietação de vagabundo).

Onde será? Que feio Adamastor
guardará pela fôrça e por terror
o tormentoso cabo que me cabe?

Ignoro a latitude, a longitude…
Mas sei tomar a olímpica atitude
de saber coisas que mais ninguém sabe.

António Lopes Ribeiro