Não dissemos as palavras mais simples. António Ramos Rosa

Não dissemos as palavras mais simples

a caligrafia das águas sobre a pedra uma pedra

 —————————  vacila verde

as árvores despertam dormem apertadas na concavidade

 —————————  do rumor

não dissemos ainda as pálpebras longínquas do horizonte

o trêmulo deslumbramento da água jorrando lisa de terra

não dissemos a progressão das formigas em torno da árvore

 —————————  de clara malha como um leopardo

não dissemos as vagas sombras imóveis as folhas verdes

as altas e negras flores nas varandas suspensas

não dissemos sequer o nascimento da terra e do cavalo

as manhãs a meia-noite o turbilhão

do ventre o arranque para a primeira explosão no mar e o muro

onde o tempo se condensa como um navio suspenso sobre

 —————————  o mar vertical.

António Ramos Rosa, in Gravitações

quint-buchholz-book-lighthouse-1992

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s