História de cão. Mário Cesariny

eu tinha um velho tormento

eu tinha um sorriso triste

eu tinha um pressentimento

tu tinhas os olhos puros

os teus olhos rasos de água

como dois mundos futuros

entre parada e parada

havia um cão de permeio

no meio ficava a estrada

depois tudo se abarcou

fomos iguais um momento

esse momento parou

ainda existe a extensa praia

e a grande casa amarela

aonde a rua desmaia

então ainda a noite e o ar

da mesma maneira aquela

com que te viam passar

e os carreiros sem fundo

azul e branca janela

onde pusemos o mundo

o cão atesta esta história

sentado no meio da estrada

mas de nós não há memória

dos lados não ficou nada

 

Mário Cesariny. manual de prestidigitação.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s