Quero uma vida em forma de espinha. Boris Vian

IMG_1048

 

Quero uma vida em forma de espinha

 

Num prato azul

 

Quero uma vida em forma de coisa

 

No fundo dum sítio sozinho

 

Quero uma vida em forma de areia nas minhas mãos

 

Em forma de pão verde ou de cântara

 

Em forma de sapata mole

 

Em forma de tanglomanglo

 

De limpa-chaminés ou de lilás

 

De terra cheia de calhaus

 

De cabeleireiro selvagem ou de édredon louco

 

Quero uma vida em forma de ti

 

E tenho-a mas ainda não é bastante

 

Eu nunca estou contente

 

 

 

 

 

 

Boris Vian

 

canções e poemas

 

tradução de irene freire nunes e fernando cabral martins

 

assírio & alvim

 

1997

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s