Receita para fazer um poema, Manuel Mengo

garden16

Adicione a trezentos gramas de imagens poéticas

dois decilitros de lirismo puro
e bata até obter uma pasta homogénea.
Àparte misture em partes iguais
estilo pessoal, vivência, ironia e moral de uso caseiro,
aromatize com essências de cultura greco-latina
e ponha passas de amargura
amêndoas de fatalismo
cerejas de filosofia e pinhões de retórica
tudo seco e picado miúdo.
Ligue bem as duas misturas de modo
A que os sabores fiquem identificáveis
E sejam fáceis a qualquer digestão.
Leve a cozinhar em editor brando,
sirva morno em primeira edição.
Deve acompanhar-se este manjar
com um clarete seco de promoção pessoal à temperatura ambiente
ou com um licor de oportunidade política muito gelado.

Manuel Mengo,

A Floresta de Asfalto

Anúncios

One thought on “Receita para fazer um poema, Manuel Mengo

  1. POEMA DO AMOR
    António Gedeão

    Este é o poema do amor.

    O poema que o poeta propositadamente escreveu
    só para falar de amor,
    de amor,
    de amor,
    de amor,
    para repetir muitas vezes amor,
    amor,
    amor,
    amor.
    Para que um dia, quando o Cérebro Electrónico
    contar as palavras que o poeta escreveu,
    tantos que,
    tantos se,
    tantos lhe,
    tantos tu,
    tantos ela,
    tantos eu,

    conclua que a palavra que o poeta mais vezes escreveu
    foi amor,
    amor,
    amor.

    Este é o poema do amor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s