Só nos Pertence o Gesto que Fizemos. Vergílio Ferreira

seachell_sand

Só nos pertence o gesto que fizemos
não o fazê-lo como, iludida,
a divindade que em nós já trouxemos
supõe errada (e não) por convencida.

Porque o traçado nosso em breve cessa,
para que outro o recomece e não progrida;
que um gesto em ser gesto real se meça,
não está em nós fazê-lo, mas na Vida.

Assim o nada a sagra quando finda
porque o que é, só é o não ainda.

Vergílio Ferreira

in Conta-Corrente

Anúncios

2 thoughts on “Só nos Pertence o Gesto que Fizemos. Vergílio Ferreira

  1. CANÇÃO GRATA
    Carlos Queiroz

    Por tudo o que me deste:
    — Inquietação, cuidado,
    (Um pouco de ternura? É certo, mas tão pouco!)
    Noites de insónia, pelas ruas, como um louco…
    — Obrigado, obrigado!

    Por aquela tão doce e tão breve ilusão.
    (Embora nunca mais, depois que a vi desfeita,
    Eu volte a ser quem fui), sem ironia: aceita
    A minha gratidão!

    Que bem me faz, agora, o mal que me fizeste!
    — Mais forte, mais sereno, e livre, e descuidado…
    Sem ironia, amor: — Obrigado, obrigado
    Por tudo o que me deste!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s